Crônica de campanha Senhor dos Anéis: Caradhras

Olá Pessoal! Só para variar, nesse primeiro post de 2016 venho novamente falar sobre o Senhor dos Anéis. Precisamente, sobre um projeto que iniciei no segundo semestre de 2015, que tem como objetivo iniciar jogadores no universo de Tolkien. O sistema escolhido foi O Um Anel da Cubicle 7, que se mostrou bem adaptado para a tarefa de lidar com iniciantes.

O projeto em questão tem como objetivo narrar campanhas curtas, de quatro a cinco sessões, para um média de quatro a seis jogadores e sempre realizando a troca sistemática de jogadores de uma campanha para a outra. A primeira foi narrada em meados de junho e julho de 2015 e nomeada Em Busca do Mago Castanho. A segunda, já com um grupo renovado e mesclando alguns jogadores participantes da primeira campanha, foi nomeada de Caradhras. Vocês verão a cronologia da campanha logo após as fotos.

Para 2016, vou tentar manter mais duas campanhas por ano e uma campanha épica, passada na Primeira Era, utilizando o Sistema CODA. No ano passado acrescentei o universo tolkeniano em um projeto que realizo em uma escola de ensino fundamental menor (onde sou professor). O feedback foi maravilhoso! Pude ver alunos do 5º ano interagindo com a narrativa, muitos conhecedores da versão cinematográfica do SdA e alguns despertando a curiosidade para o universo literário.

Sobre Caradhras, a mesma teve duração de cinco sessões, com a participação de dois jogadores remanescentes de Em Busca do Mago Castanho. Entre os novos participantes, um possuía conhecimento no universo literário e demorou um pouco para saber separar o seu conhecimento do conhecimento do personagem. Alguns, experientes de longa data no RPG, mas que a duras penas foram entrando em sintonia com a malicia sutil da sombra, um mal que age de forma totalmente diferente de outros malefícios em diversos sistemas de narrativa.

Ao final de tudo, o saldo foi muito positivo e é também notória a evolução de quase todo o grupo. Espero que futuramente alguns queiram contar suas próprias estórias na Terra Média. E por que não em 2016? Deixo algumas dicas em Narrando na Terra Média.

Com todos os afazeres de 2016, incluindo os eventos em que estou diretamente envolvido — como Diversão na Lagoa e o RPG na Dunas — manterei como prioridade as narrativas na Terra Média.

Crônica: Caradhras
Sistema: Um Anel
Personagens: Lofár, filho de Dorák (Anão), Anar, filho de Arthar (Anão), Edrahill (Elfo), Beran (Homem da floresta), Theuderic (Homem da floresta) e Balbo Tûk (Hobbit).

 

2994 TE: Janeiro

20: Reunião em Rhosgobel com Radagast.

21: Partida de Rhosgobel em direção a Vila dos Homens da Floresta; encontro com uma patrulha Orc e uma aranha adormecida. O grupo consegue fugir da patrulha.

22: Chegada à Vila dos Homens da Floresta. E retirada do povo.

23: O grupo avista a fumaça das casas incendiadas pelos orcs na vila.

24: Chegada ao Salão da Floresta, as criaturas das sombras não se aproximam. Conversa com Amalric.

25: Partida para o Anduin, chuva e frio se intensificam, em meio aos relâmpagos a visão de Beorn. O grupo decide sair do território do Urso.

26: Retorno às margens da Floresta das Trevas, a fumaça da Vila ainda é um pouco perceptível ao elfo. Uma flecha negra é disparada no meio da noite.

28: Chegada às margens do Anduin e travessia. Lofár é acertado por Ulzog, os orcs se revelam: é uma patrulha com um total de onze. Chegada aos charcos dos Campos de Lís.

29: O Grupo avança para o Norte, para fugir dos charcos. Balbo desaparece, Theuderic encontra seu “rastro” em direção aos Campos de Lís, sul. O Hobbit saiu para o Oeste, encontra uma caverna, um Troll e também o seu fim. Os demais atravessam o charco, encontram rastros em direção ao Sul e decidem seguir, acreditando que sejam os de Balbo.

30: Beran desaparece do acampamento. O grupo segue viagem e encontra Durmegil.

31: O grupo é atacado por uma patrulha orc, mas conseguem sobreviver ao ataque. Beran encontra Balbo, indiretamente foi ajudado por Beorn.

 

2994 TE: Fevereiro

01: O grupo segue viagem para Lórien.

03: À noite são emboscados por Ulzog e fogem em direção a Lórien. Lofár é gravemente ferido. Edrahill consegue chegar à floresta e solicitar ajuda ao elfos que auxiliam o grupo, juntamente com Beran e Beorn, que chegam do norte. Balbo está vivo. Descansando em Lorien, o grupo é recebido por Lerenil. Os ferimentos são amenizados.

04: Edrahill, em sonhos, fala com a dama de Lórien. O grupo não recebe autorização para entrar em Caras Galadhon. Mas a mensagem de ajuda é enviada pelos batedores élficos.

05: O grupo parte de Lórien em direção ao passo do Chifre Vermelho. À noite, são emboscados por Ulzog, derrotados e o orc leva Balbo na boca do seu Warg. Lófar está novamente em estado grave. Lobo, o cão da floresta que foi atacado pelo Warg de Ulzog, está em estado grave. Edrahill e Theuderic decidem seguir o rastro de Ulzog. Anar e Beran cuidam dos feridos.

06: Anar sai em busca de ajuda.

07: Edrahill e Theuderic perdem o rastro próximo ao Lago Espelho e decidem seguir para o Passo do Chifre Vermelho.

08: Anar Chega a Lórien, encontra Khalmir e juntos, voltam para ajudar os amigos. À noite, Edrahill e Theuderic chegam a Chifre Vermelho, não veem mudanças e perigos na passagem.

10: Anar retorna e resgata os companheiros feridos. Edrahill e Theuderic retornam para Lórien, ainda buscando rastros de Ulzog.

12: Anar e Beran chegam em Khazad Dûm com os feridos. E descobrem que a colonização falhou e que Balin está morto. Anar está fascinado com a casa antiga e quer protegê-la a todo custo. À noite, chegam ao local da batalha, mas não acham seus amigos e decidem se abrigar na floresta.

13: Encontram Lerenil, que os informa que os amigos foram para Moria.

Narrando em O Senhor dos Anéis

Desde que comecei a narrar no universo tolkeniano, tenho dialogado bastante com outros narradores pelo Brasil afora. Uma das questões mais debatidas é “como construir uma campanha sem comprometer o cânone”; ou “é melhor narrar na Quarta Era, onde temos mais liberdade”. A Terra Média tem várias histórias épicas e maravilhosas, muitas delas relatadas nos apêndices do Retorno do Rei, no Contos Inacabados e no Silmarillion.

A Terra Média é um universo singular e uma boa leitura das obras de Tolkien é necessária para embasar o conhecimento do narrador — isso não quer dizer que você vá passar horas de sessão descrevendo o mundo nos mínimos detalhes, como o autor faz nos primeiros capítulos da Sociedade do Anel e no Silmarillion. Mas é imprescindível conhecer alguns detalhes peculiares do universo para que o jogador possa sentir-se imerso na Terra Média.

Por isso, recomendo a leitura das seguintes obras: O Silmarillion, O Hobbit, O Senhor dos Anéis (Sociedade do Anel, As Duas Torres e O Retorno do Rei) e Contos Inacabados. As anotações de particularidades das regiões são essenciais.

Agora vamos ao que interessa; eu, particularmente, gosto de inserir o grupo em demandas paralelas às grandes histórias da Terra Média. Muitas dessas grandes histórias, encontradas nos apêndices do Retorno no Rei, são uma excelente fonte de pesquisa para campanhas.

Vou exemplificar o modelo de organização que utilizo com base em uma campanha que preparei em 2014:

1º Passo: Estruturação da campanha

a) Fato Histórico: Ataque de Angmar ao Topo do Vento e a Fornost.
b) Objetivo do grupo: Levar o Príncipe Araphor em segurança aos Portos Cinzentos e solicitar ajuda aos elfos;
c) Locais: Fornost, Bri, Condado e Portos Cinzentos;
d) Personagens Históricos: Arveleg, Araphor e Círdan.

Você pode encontrar informações para a construção de campanhas nos apêndices do Retorno do Rei, Silmarillion e no Contos Inacabados.

senhor-dos-aneis

2º Passo: Sistema

Ultimamente, nas campanhas narradas, tenho usado o RPG do Senhor dos Anéis com o sistema CODA quando desejo algo mais épico e tento inserir grupos mais experientes paralelamente em fatos históricos mais importantes. O RPG Um Anel, é ótimo para jogadores iniciantes na Terra Média e para explorar uma das particularidades preferidas do universo de Tolkien: a magia sutil da terra.

AoaQ5Nw1VfBrBcm4qbgalrhniDpNPh4NPMpAUNYWp3xI

3º Passo: Referências

É muito importante organizar as referências dos locais por onde o grupo irá passar e dos personagens históricos que poderão encontrar. Não abusem dos grandes personagens, ou a campanha perderá a emoção — e a coerência, se Gandalf aparecer a cada cinco minutos. Particularmente, uso personagens icônicos apenas uma vez por campanha.

Uma boa leitura e anotações são importantes para a descrição dos locais. Os vários artistas que ilustraram a Terra Média ajudam bastante na hora dos jogadores terem uma ideia melhor de onde estão. Meus ilustradores favoritos são John Howe, Alan Lee, Ted Nasmith e os Irmãos Hildebrandt.

O conhecimento geográfico da Terra Média é muito importante — e nesse quesito recomendo o Atlas da Terra Média. Sempre é bom citar os fatos históricos importantes que ocorreram no período em que os jogadores estão atuando; assim se tem noção da importância da ação dos seus personagens.

Os Argonath marcam a fronteira sul de Gondor

Os Argonath, John Howe

4º Passo: Trilha sonora

A trilha ajuda na ambientação e na reprodução imaginária do cenário. Como quase todo mundo assistiu a O Hobbit e o Senhor dos Anéis, fica fácil usar as trilhas sonoras dos filmes de maneira adequada, de acordo com a região e o momento. Unindo trilha sonora, descrições e ilustrações, você obtém uma ótima reprodução imaginária de onde se passa o jogo para seus jogadores. As trilhas oficiais dos filmes já têm suas faixas nomeadas por região ou por cenas importantes do filme, o que facilita bastante a seleção.

5º Passo: Coerência

É importante manter a coerência nos desafios propostos para os aventureiros, pois o universo ficcional criado por Tolkien possui uma consistência interna muito forte, como por exemplo, os habitats próprios de cada criatura. Levar o grupo a atuar paralelamente a um grande fato histórico reduz suas chances de alterar o cânone histórico — e eu particularmente gosto dessa abordagem — mas nos casos em que a história é alterada, significa que o grupo não atingiu seu objetivo.

IMG-20150702-WA0014

6º Passo: Eventos

Fazer com que o grupo mantenha um diário é uma ótima ferramenta para registrar eventos. Temos duas formas de se fazer isso: pode ser em forma de cronologia, onde o grupo é levado a fazer um feedback pós-sessão, anotando os passos do grupo dia a dia e apresentando-o no início da próxima sessão, ou enviando-o através de redes sociais. Outra forma é fazer um sorteio por sessão; o jogador escolhido escreve um relato da sessão segundo a perspectiva do seu personagem e o apresenta na sessão seguinte.

Exemplo de crônica de campanha

    Bom pessoal, tentei aqui expor como me organizo para narrar as minhas campanhas na Terra Média. Como sou um apaixonado pelo universo Tolkieniano, tento manter os fatos históricos inalterados, levando o grupo a atuar na margem da história — mas sem perder sua importância, atuando em demandas secundárias que são essenciais para a resolução do fato principal.

A Sombra da Lua – Cronologia de campanha

Vale morgulPessoal, mais sequências de cronologias de campanhas na Terra Média (Véi, como eu amo isso). Agora eu encerro a trilogia que teve início com a crônica Arvedui, o último Rei, e que já foi relatada aqui no Mundos Colidem. Essa campanha segue até Gondor, onde os aventureiros foram avisar ao rei de um ataque a Minas Ithil, que posteriormente seria conhecida por Minas Morgul.

Crônica: A Sombra da Lua
Sistema: CODA
Duração: 2009 a 2012
Personagens: Ithron Anor (mágico dunadán), e Beleghûn Forod (mestre de sabedoria dunadán).

 

 

Cronologia A Sombra da Lua

Capitulo 1: O Anoitecer

1999 TE

16/11: Gilrhûn está grávida, Ithron está em dúvidas sobre ir ao encontro de Beleghûn.

17/11: Ithron conversa com Camlost.

18/11: Visita de Radagast e Gandalf (conversam sobre Celebeth).

19/11: Ithron conversa com Gilrhûn e Adan.

25/11: Partida de Ithron, Camlost, Gandalf e Radagast. Ínicio da caçada a Celebeth.

06/12: Ithron e Camlost são atacados nas montanhas sombrias, por Celebeth. Ithron desaparece nas montanhas, Camlost escapa de Celebeth.

2000 TE

05/12: Conferência dos capitães de Ithil, com o princípe. Chegada de Sellithil à Torre da lua.

06/12: Chegada dos batedores, e partida de Banazîr e Sellithil.

07/12: Chegada de Alin, o mensageiro de Mordor.

08/12: Ataque dos orientais a Torre da Lua, Beleghûn vence o capitão, mas se feriu gravemente. O exercito de Ithil vence os orientais.

09/12: Orcs e Trolls atacam a Torre da Lua, muitos Gondorianos são mortos.

10/12: Beleghûn acorda. Conversa com Barahir, o sábio. Reunião com o Princípe Earnür e o capitão Thartalion. Chegada dos batedores, um novo ataque se aproxima.

15/12: Chegada do exército do leste comandado por Remmirath, conferência dos capitães aos portões de Minas Ithil.

Capítulo 2: A Alvorada de Esperança sobre Camlost e Adan

2000 TE

8/1: Camlost retorna para Tharbad, com a noticia do desaparecimento de Ithron.

27/1: Camlost e Adan partem para Bree.

3/2: Chegada a Bree, ambos se juntam aos guardiões do norte.

30/3: Encontro com Aranarth.

29/4: Aniversário de Beleghûn.

27/6: Aniversário de Adan.

14/7: Nascem os gêmeos Valandil e Nienna, filhos de Ithron.

18/8: Gilrhûn entrega os gêmeos a Oddo, É encontra Adam, depois parte.

23/8: Gilrhûn é encontrada morta nos arredores de Bri.

23/9: Camlost e Adan partem de Bree, em caçada a Celebeth nas montanhas sombrias.

5/12: Chegada ao passo do chifre vermelho.

10/12: Chegada de Camlost e Adan a Lórien. Os elfos os encontram nas fronteiras, e recebem notícias de Beleghûn e Banazîr.

Sobre Banazîr

2000 TE

6/12: 1 ano do desaparecimento de Ithron. Banazîr partem de Minas Ithil na alvorada, acompanhado de Sellithil.

7/12: Chegada a Minas Anor, Banazîr Envia mensagem a Lórien.

8/12: Banazîr parte de Anor em direção ao norte.

11/12: Encontro entre Banazîr e Haldir de Lórien, próximo as cachoeiras de Rauros.

Sobre Beleghûn, Banazîr e o destino da Torre da Lua

2000 TE

15/12: O exército do leste comandado por Remmirath, ataca a Torre da Lua. Thartalion é gravemente ferido, os homens de Gondor recuam e se escondem nas muralhas, os inimigos iniciam um cerco.

16/12: Na alvorada, Banazîr e os elfos chegam a auxílio aos homens, o príncipe Earnür, sai em ataque da torre e vencem os orientais. Banazîr traz notícias de Ithron para Beleghûn.

Capítulo 3: Velhos Amigos e Velhas Conversas

 2000 TE

16/12: Beleghûn, acorda por volta do meio dia, ainda bastante cansado da noite anterior, o mesmo sai até o pátio e descobre que agora neva, e encontra Haldir (elfo de Lórien), eles conversam sobre Ithron, Adan e Camlost. Banazîr chega e entra na conversa, Após o princípe Earnür tambem se junta a o dialogo, e Haldir parte. Após saida do princípe, Barahir chega, e convence os homens do norte a aconselhar o herdeiro do trono de Gondor, a partir para Minas Anor em busca de reforços. Após conversa com o herdeiro, o mesmo nomeia Beleghûn como Comandante, até a recuperação de Thartalion, e Banazîr como o conselheiro.

17/12: O princípe parte com Barahir e a sua guarda, após a partida Banazîr se desfaz das suas funções e nomeia Túrin de Dol Amroth (Aranarth) para a função de Conselheiro. O Sábio mão certeira parte de Minas Ithil. Ithron é resgatado pelos Elfos de Lórien, nas montanhas sombrias.

Capítulo 4: Velhos Amigos e Velhas Conversas (Parte 2)

 2000 TE

19/12: Conversa entre Beleghûn e Túrin de Dol Amroth (Aranarth) sobre a real situação do cerco a Minas Ithil (localização das tropas inimigas, as tropas inimigas, o passo de Cirith Ungol, os caminhos que levam a torre da lua, a disposição dos batedores, o animo dos exercitos aliados, os recursos disponivéis e o Palantir de Ithil). Ithron chegou a Lórien, e encontrou Ithron.

Capítulo 5: Sozinhos na Escuridão

 2000 TE

24/12: Chegada de Camlost e Adam (filho de Ithron) a Minas Ithil. Conversa de Beleghûn com Thartalion. A nevasca se dissipa. Beleghûn, Turin (Aranarth), Adam, Camlost e 50 homens sobem ao passo de Cirith Ungol. Encontram um sinete dos reis dos bruxos de Angmar.

25/12: Observam a movimentação do inimigo em Cirith Ungol. Camlost e Adam ficam como Batedores no passo. Beleghûn e Turin (Aranarth) retornam para Minas Ithil.

Capítulo 6: O Guerreiro da Espada Negra (Parte 1)

2000TE

31/12: Banquete de final de ano, chegam as primeiras notícias do passo de Cirith Ungol, e da defesa comandada por Camlost.

2001TE

01/01: Ataque dos exércitos do leste as primeiras horas da manhã. Bacihr (o warg de duas cabeças) é usado no combate, ele fere gravemente Túrin (Aranarth), e Beleghûn o mata, nas primeiras horas da manhã, e o capitão de Ithil em exercicio, parte em auxilio a os homens no passo. Beleghûn chega ao passo com o auxilio, e ajuda a Camlost, a vencer os inimigos. O mão vazia, assume a responsabilidade por proteger o passo, e os homens o chamam de o “espada negra”. Ao cair da noite, o príncipe passa por Ithil, em direção ao sul para guarnecer a fronteira. Os homens de Ithil questionam a finalidade da defesa da torre.

Capítulo 7: O Guerreiro da Espada Negra (Parte 2)

 2001 TE

8/1: Conversa entre Belghûn e Turin (recursos escassos, e Beleghûn pensa em retirada). Beleghûn envia carta ao rei por Aranarth. Camlost vai até minas Ithil, para conferência com Beleghûn.

10/1: Aranarth chega a Gondor: encontro com o regente Mardil, e entrega da carta. Aranarth vai a casa de Selithil, e Tarondor (filho de Beleghûn).

11/1: Aranarth recebe resposta do Rei.

13/1: Aranarth retorna de Gondor, com noticias (Tarondor e mais recursos). Chega carta de Banazîr a Beleghûn, ele responde, e a resposta e interceptada.

15/1: Os batedores são atacados. Celebeth descobre que é Camlost quem está comandando a defesa do passo de Cirith Ungol. Beleghûn prepara o exercito de Ithil para um ataque. Banazîr e Ithron partem de Lórien.

Capítulo 8: O Traidor

2001 TE

16/01: Galdor retorna sozinho e gravemente ferido do ataque feito aos batedores. Ao fim do dia parte uma nova comitiva de batedores comandada por Tarkan (tenente) e Ingold.

17/01: Camlost tem nova conferência com Beleghûn, sobre a situação do passo de Cirith Ungol.

18/01: Os batedores retornam. Alguns homens adoecem, o responsável pela enfermaria o sábio Hallas, atribui a doença a fonte de água. Beleghûn reposiciona os batedores.

21/01: Após testes Hallas chega a conclusão que o suprimento de água de Ithil está envenenado. Celebeth parte de Mordor para o norte. O mensageiro do Príncipe chega com a notícia da derrota no sul.

25/01: Beleghûn envia Ingold como mensageiro para o rei de Gondor.

Capítulo 9: Entre a Espada e a Neve

2001 TE

30/01: O príncipe retorna para Ithil, após a derrota no sul. A cabeça de Ingold é jogado em Minas Ithil, por uma ave. Beleghûn e enviado para o passo de Cirith Ungol.

01/02: Batedores são encontrados nos arredores do Passo do Cirith Ungol.

03/02: Ithron e Banazîr chegam a Minas Ithil, com mais 150 homens.

04/02: Ithron sobe o passo com Beleghûn, e reencontram Adam.

Capítulo 10: A Queda do Mão Vazia

2001 TE

05/02: Um grande exercito se chega a Ithil nas primeiras horas do dia; os soldados do passo logo avistam a chegada, e depois são atacados de surpresa por Lobisomens vindos de Cirith Ungol.210 homens morreram no passo. As batalhas terminam no passo, mas ainda duram em Ithil. Morre Camlost filho de Menelmacar.Adan assume Angmorn.

08/02: Termina a batalha em Ithil, os homens vencem, mas as perdas são inúmeras.

10/02: Adan desce o passo para falar com o capitão de Ithil.

11/02: Retorno de Adan ao passo.

15/02: Banazîr conversa com Turin, regente de Gondor.

17/02: Banazîr tem audiência com o rei.

18/02: Banazîr parte de Minas de Anor.

01/03: Termina o Inverno.

04/03: Aniversário de Ithron. Beleghûn, Ithron e Adan estão no passo.

11/03: Chegam às tropas com os suprimentos enviadas pelo Rei, com a ordem do retorno do príncipe a Gondor. O príncipe não retorna. Banazîr chega a Lórien.

29/04: Aniversário de Beleghûn, Ele recebe a primeira carta de Selethil.

27/06: Aniversário de Adan.

14/07: Aniversário dos gêmeos de Ithron. Apartir desse dia o cerco se fecha, não há mais nenhuma comunicação com Minas Anor, todos os batedores e mensageiros são mortos a partir desse dia.

09/09: Ithron e Beleghûn são intimados a ficar em Minas Ithil, Thartalion assume a defesa do passo.

02/10: Mensagens de pedido de rendição chegam diariamente a Minas Ithil. Acompanhadas de desafios ao príncipe.

21/10: O grande exercito de Mordor começa a marchar em direção a Ithil.

15/11: Os primeiros mensageiros chegam a Minas Ithil, e solicitam a entrega da fortaleza.

23/11: Inicia-se o grande o cerco a Minas Ithil.

03/12: O último mensageiro de Mordor solicita rendição os exércitos de Minas Ithil. Beleghûn e Ithron estão em Ithil, impossibilitados de sair.

31/12: Mesmo com o cerco, o príncipe oferece o jantar de ano novo. Banazîr não consegue reforços e parte sozinho com um pequeno contiguente de guardiões do norte. Aranarth fica em Valfenda, a conselho de Banazîr e Elrond.

2002 TE

03/01: Os exércitos de Mordor chegam a sua totalidade a Minas Ithil.

Capítulo 11: O Crepúsculo dos Heróis

2002 TE

04/01: Inicia-se os ataques.

05/01: A defesa de Minas Ithil sofre fortes baixas. Ithron consegue 12 horas de trégua, o Príncipe Earnïr foge com Ithron, e a sua guarda pessoal. Beleghûn, Thartalion e Adan, ficam para comandar a última defesa de Ithil.

06/01: Nas primeiras horas, Beleghûn morre pelas mãos de um Nazgûl, junto com os seus companheiros. Minas Ithil e tomada, e apartir desse momento passa a ser conhecida como Minas Morgul, a torre da bruxaria. Ao anoitecer Ithron chega em Minas Anor, e relata os acontecimentos, e a cidade passa a ser conhecida como Minas Tirith. Ithron vai ao encontro de Banazîr, e ambos decidem partir.

07/01: Ao saber da morte de Beleghûn, Selithil entrega o seu filho aos cuidados de Ithron e se suicida.

20/01: Ithron, Banazîr e Tarondor partem de Minas Tirith.

04/03: Chegada dos viajantes a Bree, Finalmente Ithron retorna para casa, e pode encontrar os gêmeos: Valandil e Nieena.

 

Assim cessaram as aventuras de Ithron e Beleghûn, que foram os mais valorosos dunedains do Norte em seu tempo, e por longos anos os seus feitos foram contados em relatos que o próprio Aragorn citou desta história quando retomou Minas Ithil.

Soron-Hên, o Anel da Visão – Cronologia de campanha

sda

E aí pessoal? Estou voltando com mais uma cronologia das campanhas narradas em tempos passados na Terra Média. A crônica tem como base os eventos que se seguem após a queda do reino de Arthedain, onde os heróis são envolvidos indiretamente nos fatos canônicos de Eriador, e se confrontam com Celebeth, um traidor da casa de Arthedain.

 Crônica: Soron-Hên, o Anel da Visão
Sistema: CODA
Duração: 2008 a 2009

Personagens: Banazîr Sinyë (mestre de sabedoria dunadán), Ithron Anor (mágico dunadán), Maethor Megilfein (guerreiro dunadán), Beleghûn Forod (mestre de sabedoria dunadán) e Hiril Cúran (nobre dunadán).

 

Cronologia Histórica

  • 1976 TE: Aranarth recebe o titulo de líder do Dúnedain. As heranças de Arnor são confiadas a custodia de Elrond.
  • 1977 TE: Frumgar conduz os éothéod para o norte.
  • 1979 TE: Bucca do pântano se torna o primeiro Thain do condado.
  • 1980 TE: O Rei dos bruxos vem para Mordor e ali reúne os Nazgûl. Um balrog aparece em Moria e mata Durin VI.
  • 1981 TE: Assassinado Náin I. Os anões fogem de Moria. Muitos dos elfos da floresta de Lórien fogem para o sul. Desaparece Amroth e Ninrondel.
  • 1999 TE: Thráin I vem para Erebor e funda um reino de anões “sob-a-montanha”.
  • 2000 TE: Os Nazgûl saem de Mordor e sitiam Minas Ithil.
  • 2002 TE: Queda de Minas Ithil, posteriormente conhecida como Minas Morgul. O Palantír e capturado.

Personagens históricos: Aranarth (o Rei no exílio), Elrond (senhor de Valfenda), Glorfindel (líder da casa da flor dourada de Gondolin), Radagast, o mago castanho; Mithrandir, o mago cinzento (Gandalf), Thranduil (Rei dos elfos da floresta das trevas), Legolas (filho de Thranduil).

Cronologia

1976 TE: Junho

15- Chegada dos Anões a Bri. Encontro com Banazîr nas primeiras horas do dia. E a partida para as montanhas Azuis.

17- Encontro com Radagast, o castanho. Banazîr descobre que Celebeth está partindo para o leste.

18- O mago castanho parte ao amanhecer, dizendo que aguardará Banazîr na Carrocha.

20- Chegada à ponte do Brandevin.

26- O grupo chega ao fim do Condado e sai da estrada na direção norte.

28- O grupo é atacado por um pequeno grupo de Orcs[1] nas proximidades do rio Lûn. Mas consegue escapar.

29- Durante o dia o grupo consegue fazer uma emboscada para os Orcs, evitando uma futura perseguição durante a noite.

30- Os viajantes chegam até um dos afluentes do rio Lûn, e descansa na macieira. Banazîr fala sobre o velho anão que vive nas colinas, e Frerin o reconhece como um parente distante.

1976 TE: Julho

3- Banazîr e os anões chegam às montanhas azuis, e toma o salão principal, Frerin recupera o Elmo-do-rei[2]. Banazîr recebe um presente do rei, e é convidado a ficar nas minas.

1976 TE: Setembro[3]

27- Morte de Adangil, mestre de Ithron.

1976 TE: Outubro

1- Ithron coloca a barca funerária do seu mestre no Brandevin. Encontro do mágico com Radagast, que o envia para procurar Banazîr. Hiril encontra-se com Aranarth[4] no crepúsculo, o rei no exílio fala sobre os rumores de cativos em Angmar. Ela se disfarça e parti a procurar de Banazîr.

2- Nas primeiras horas do dia Ithron se encontra com os elfos. Hiril encontra Camlost (Telumehtar) nas colinas dos túmulos. Ele a salva de uma criatura tumular, e depois os dois partem para o norte.

5- Hiril e Camlost encontram Maethor e Garafglân nas proximidades de Fornost. Devido aos trajes da nobre ambos não a reconhecem.

6- Maethor e Garafglán chegam a Bri e descobrem que a jovem acompanhante de Camlost é Hiril, procuram a ajuda de Meneldir. Oddo envia uma mensagem para Banazîr, o informando sobre a fuga de Hiril.

7- Maethor e Garafglán partem de Bri em busca de Hiril, Maethor promete a Meneldir que só retornará com Hiril.

8- Ithron chega às colinas da torres.

14- O mágico é atacado por Orcs, seu cavalo é ferido, mas os anões das montanhas azuis o salvam. Ithron é levado para as minas, e encontra Banazîr. O sábio mão certeira tem uma visão de uma torre branca em chamas.

18- Hiril e Camlost chegam até os limites de Angmar, ao amanhecer, e depois seguem pelo norte. Maethor e Garafglán chegam aos limites no inicio da tarde, o guardião lê a Estela de Angmar, e depois eles partem para o leste.

20- Banazîr descobre que a torre de sua visão é Minas Ithil, ele procura Frerin e Ithron, e decide partir na alvorada de dois dias. Ainda pela manhã, a mensagem de Oddo chega até Banazîr e Ithron, os dois decidem partir atrás de Hiril, os sábios decidem partir pelo norte, pois o caminho é mais curto, e Banazîr deseja rever o velho Madbung. Maethor e Garafglán encontram Hiril e Camlost.

21- Banazîr e Ithron encontram Ohtar nas proximidades das montanhas azuis. Hiril, Camlost, Maethor e Garafglân são emboscados por Orcs; Camlost consegue escapar, Maethor e Hiril foram feitos prisioneiros, e Garafglán é morto.

23- Hiril e Maethor acordam no acampamento Orc, e Celebeth os recepciona e presenteia Hiril com uma corrente de ouro com um pingente do mesmo metal[5].

24- Banazîr e Ithron chegam a Forochel e descobrem que Celebeth procurou Madbung nos últimos meses.

25- Saída de Forochel.

1976 TE: Novembro[6]

1- Chegada de Banazîr e Ithron as colinas do vesperturvo. Eles encontram os restos mortais de Ventos Cortantes, e os sepultam, junto com os fragmentos de suas espadas.

2- Partida das colinas do vesperturvo.

17- Passagem por Bri, os viajantes encontram-se com o sábio Beleghûn, que após receber as notícias que Banazîr portava, decide acompanhá-lo. Chegada à casa de Ithron. Celebeth enfeitiça Hiril e lhe dar o Soron-hén, e manda os Orcs deixá-la na extremidade leste das montanhas sombrias.

18- Encontro com Camlost, que os dar notícias sobre Hiril e Maethor.

21- Chegada à ponte do Frontegris. Encontro de Banazîr com Glorfindel. Ao fim da tarde encontro do grupo com Aranarth. Ithron e Beleghûn decidem partir para a Carrocha ao encontro de Radagast. Banazîr retorna para Bri, para mobilizar o resgate de Hiril. O grupo inicia a travessia do passo alto à noite.

23- Chegada a Carrocha e o encontro com Radagast, o pardo. O grupo adentra a floresta das trevas, é atacado pelas aranhas, um grupo de homens comandados por Mertis, os ajudam.

25- Partida de Radagast na floresta. Os caminhantes ficam sozinhos seguindo a trilha.

1976 TE: Dezembro

1- Retorno de Radagast, nas proximidades do rio Encantado. Ataque dos Orcs, Ithron e Beleghûn capturados, Radagast escapa.

2- Ithron e Beleghûn escapam dos Orcs.

4- Chegada aos Salões o rei Tranduil. Reencontro com Radagast, e recepção com o rei Elfíco. Tem inicio a estada dos viajantes no reino élfico.

7- Apresentação de Daeron, o menestrel na Praça do Reino da Floresta das Trevas.

1977 TE: Janeiro

3- Banquete com o rei élfico, e a explanação da viagem para o leste. Primeiro encontro de Celebeth e Gilrhûn.

4- Partida dos Salões Elfícos, viagem para Dorwinion de barco, Ithron, Beleghûn, Maura (o comerciante) e Rúmil (o elfo).

5- O grupo é atacado por Orcs nas primeiras horas do dia, Beleghûn é ferido.

8- O grupo é emboscado no rio corrente, na altura onde o mesmo volta a cortar a Floresta das Trevas; Rúmil é morto, Ithron desaparece nas águas, Beleghûn e novamente ferido, mas consegue escapar com Maura (que perdeu uma parte do braço), o comerciante.

9- Ithron acorda na margem oeste e parte para o sul. Beleghûn na margem leste parte com Maura para a mesma direção.

12- Ithron encontra Gilrhûn, em acampamento destruído pelos Orcs.

14- Ithron e a jovem, encontram um acampamento nômade. E conhece Hortus, líder da comitiva.

15- Beleghûn e Maura desmaiam na grande planície do leste. Partida de Ithron e Gilrhûn da comitiva recebem Vendaval[7] de presente.

17- Beleghûn e Maura são encontrados e levados para a grande caravana de mercadores, esta comandada por Melcarthes; Maura descobre que sua família foi morta, e os seus vinhedos tomados, e ambos passam a morar na caravana. Beleghûn passa a ser chamado de Cúadan.

24- Os Orcs deixam Hiril próximo aos campos de lis.

25- O jovem Hobitt, Bungo, encontra Hiril e a ajuda; ela esta sob o encanto de esquecimento e não lembra nem como andar.

1977 TE: Fevereiro

9- Com o passar dos dias Hiril vai retornando a memória, então Celebeth, tenta se passar por irmão da nobre, mas é atrasado por Cerch Imbeliam, que o perseguia. Hiril retorna boa parte de sua consciência, e o elfo a envia para Lórien, em seu corcel Hamanulas; no caminho ela é perseguida por Celebeth e um dos espectros. Ela chega a Lórien, e encontra-se com Galadriel. Hiril está com o Soron-hén.

14- Passeio com Miriel, no vale do riacho escuro. Cerch captura Celebeth. Hiril conversa com Celebeth.

1977 TE: Março

1- Hiril decide destruir o Soron-Hén, comunica a sua decisão a senhora de Lórien; ela manda a dunadain procurar por mestre Elrond, pois ele pode destruir o anel, Cerch se oferece para acompanha-lá na viagem, Miriel diz a Hiril que Cerch nunca mais retornará desta viagem.

2- Hiril e Cerch partem de Lórien.

3- Acidente de Hiril no Passo do Chifre Vermelho, nas primeiras horas da manhã. Ao anoitecer encontro com Camlost.

9- Chegada a Valfenda. Encontro com Aranarth, e conversa com Mestre Elrond, o anel corrompe Hiril e ela decide não destrui-lo.

1977 TE: Maio

4- Banazîr resgata os cativos de Angmar, entre eles o pai de Maethor, Cyriatan.

1977 TE: Junho

3- Chegada de Ithron e Gilrhûn à Dorwinion, o mágico se estala os vinhedos da jovem.

9- Hiril parte de Valfenda na companhia de Cerch, levando o Soron-hén.

12- Hiril e Cerch foram emboscados no topo do vento; o elfo é morto durante o ataque, a nobre é salva por Banazîr, mas está gravemente ferida. O Soron-hén desaparece, alguns Orcs escapam.

19- Encontro de Hiril e Banazîr.

21- Hiril falece em Bri, Meneldir perdeu os seus dois filhos.

1977 TE: Agosto

5- Banazîr chega a Valfenda.

 1977 TE: Setembro

10- Primeira Viagem de Gilrhûn.

1978 TE: Janeiro

13- Casamento de Ithron e Gilrhûn.

26- Beleghûn e aceito permanentemente como membro da caravana do senhor Melcarthes.

1980 TE: Setembro

10- Segunda viagem de Gilrhûn.

11- Ithron passa a fazer treinos diários com Vendaval.

23- Banazîr chega a Lórien.

29- Miriel toma um barco em direção a Valinor.

 1983 TE: Setembro

13- Terceira viagem de Gilrhûn.

1985 TE: Junho

27- Nascimento de Adan Borgil, filho de Ithron e Gilrhûn.

1985 TE: Novembro

2- Ithron torna-se um mestre na arte da fabricação do vinho. O vinhedo da família passa a ter grandes lucros desde período em diante.

1987 TE: Janeiro

20- Celebeth escapa de Lórien.

22- Banazîr Parte em busca de Celebeth.

1987 TE: Abril

14- Banazîr chega aos Salões de Tranduil, e tem noticias de Beleghûn e Ithron.

21- Celebeth retorna a Angmar e recupera o Soron-hén, descobre os planos dos dunedains e o destino de Beleghûn.

1989 TE: Setembro

8- Quarta viagem de Gilrhûn.

1989 TE: Outubro

17- Celebeth chega às terras do Leste.

1992 TE: Setembro

16- Quinta viagem de Gilrhûn, segundo encontro com Celebeth.

1995 TE: Setembro

19- Sexta e última viagem de Gilrhûn. Terceiro encontro com Celebeth.

1997 TE: Abril

4- Celebeth encontra Gilrhûn em Dorwinion, e dar o Soron-hén de presente ao filho de Ithron.

1997 TE: Junho

21- Melcarthes envia 100 homens para o sudoeste, Beleghûn está entre eles. Último encontro de Beleghûn com Maura. Ithron conversa com Vendaval. O mágico tem seu último encontro com Maura, e descobre o destino do seu companheiro, e os planos do Deus rei, e envia uma mensagem a Beleghûn. Gilrhûn mata Maura; Ithron desvenda toda a trama da sua esposa e Celebeth, e descobre que Maura e pai de Gilrhûn. Ithron decide não participar da grande corrida do leste, mas envia seu filho para substitui-lo, o mágico parte de Dorwinion.

22- Beleghûn recebe a mensagem de Ithron, e decide prosseguir na caravana, e envia uma nova mensagem para o seu amigo. Ithron avista a caravana de Beleghûn, mas não consegue alcançá-la.

23- Ao amanhecer, Beleghûn parte em uma pequena comitiva liderada pelo II Tenente Beldar; a tarde a comitiva chega a cidadela dos mortos. Ithron persegue o seu companheiro. A noite Beleghûn e Ithron se encontram na cidadela, conhecem Niandro o Amaldiçoado, e são atacados por Lacatos o lobisomem.

24¬- Nas primeiras horas do novo dia, os viajantes vencem Lacatos. Beleghûn e seduzido pelo Soron-hên, Ithron toma o anel e parte, Beleghûn o persegue.

27- Banazîr tem informações de 100 homens armados em direção a floresta das trevas; o sábio envia uma mensagem a Thranduil.

1997 TE: Julho

10- Ithron encontra a caravana do sábio do deserto Hortus, e Banazîr que estava à procura dos viajantes. Beleghun encontra a Caravana e ambos têm uma longa conversa com Banazîr.

11- Reunião com hortus, Banazîr, Ithron e Beleghûn sobre a decisão da demanda. Ithron torna-se o guardião do anel, e Beleghûn partirá com Banazîr ao ataque a comitiva de Remmirath. Hortus envia batedores para localizar o exercito inimigo e convocar seus homens.

12- Retornam os batedores com a informação da localização do exercito inimigo.

13- Nova mensagem dos batedores. Chegada dos elfos da floresta das trevas.

14- Chegada de Seraphís o capitão dos homens de Hortus. Partida de Banazîr, Beleghûn, elfos e os homens de Hortus.

15- Nas primeiras horas da manhã combate com os homens de Remirath. Beleghûn é gravemente ferido. Ithron parte da comitiva.

17- Beleghûn retoma a consciência.

25- Banazîr e Beleghûn partem para a floresta das trevas.

1997 TE: Agosto

9- Chegada de Ithron a floresta das trevas, o Soron-Hên é destruído pelos elfos da floresta.

10- Ithron parte para Dorwinion.

19- Chegada de Banazîr e Beleghûn a floresta das trevas; os viajantes tem noticia de Ithron e da destruição do Soron-Hên.

22- Partida da Floresta das trevas.

1997 TE: Setembro

21- Chegada de Banazîr e Beleghûn a Gondor (Minas Anor).

22- Reencontro de Beleghûn e Sellithil, o sábio pede a sua amada em casamento.

29- Chegada de Ithron a Dorwinion, reencontro com Adan e Gilrhûn.

1997 TE: Outubro

1- Casamento de Beleghûn com Sellithil – a pedidos de Banazîr ao príncipe, o mesmo é realizado em cerimônia discreta na arvore branca.

7- Ithron se desfaz da vinícola e parte com a sua família para Bri.

 1997 TE: Novembro

27- Chegada de Ithron e família a floresta das trevas, reencontro com Radagast.

29- Partida de Ithron, Radagast e Familia para Bri.

1997 TE: Dezembro

25- Chegada a Bri. Radagast hospeda-se na casa de Ithron.

Aqui termina a história dos bravos dunedains que partiram para o leste em busca de descobrir o motivo que alimentava o ódio dos homens daquela terra, contra os homens do ponente. O que se sabe é que esses homens provaram o seu valor, ao arriscar a suas próprias vidas na busca de uma informação de vital importância para os reinos do oeste. O que descobriram ficaram no conhecimento dos sábios, mas logo os mesmos chegaram à conclusão que suas descobertas foram feitas tarde demais.

Notas

[1] Acredita-se que o pequeno grupo de Orcs tenha vindo pelo norte contornando as colinas do vesperturvo.

[2] O elmo-do-rei, é um dos artefatos antigos criados pólos anões de Belegost, ele é mais conhecido como o Elmo dragontino de Balegost.

[3] Apartir de Setembro de 1976 TE,  as histórias de Ithron, Maethor e Hiril começam a cruzar com as andanças de Banazîr.

[4] Na verdade era Celebeth que estava disfarçado de Aranarth. Aproveitando o ensejo de a jovem nunca ter visto o descendente de Isildur.

[5] Esta pertencia ao seu irmão, e continha os retratos da nobre e de sua mãe.

[6] Apartir de novembro o destino de Beleghûn, cruza com os de Banazîr e Ithron.

[7] Presente de Hortus, o sábio do deserto, para Ithron.

Arvedui, O Último Rei – Cronologia de Campanha

b0050805_54e6013377090Olá pessoal, volto aqui para seguir com a sequência dos relatos de minhas crônicas e aventuras na Terra Média, já pensando em escrever aventuras para disponibilizar aqui no blog. Adianto que vou me atrever a escrever uma aventura na Primeira Era, durante as batalhas contra Morgoth — farei enquanto ainda tenho coragem. Em outro texto aqui no blog, eu coloquei meu histórico de aventuras na Terra Média. A crônica tem como base a Queda de Arthedain e a fuga do Rei Averdui para o Norte. Nesse contexto os heróis são envolvidos indiretamente nos fatos canônicos de Eriador e se confrontam com Celebeth, um traidor da casa de Arthedain, que possuía linhagem real direta a Elendil. No Contexto Histórico estão os fatos relatados nos apêndices do SdA. Cronologia representa os relatos dos jogadores. E segue uma lista de personagens históricos utilizados na crônica.

Crônica: Arvedui, o Último Rei
Sistema: CODA
Duração: 2006 a 2007
Personagens: Banazîr Sinyë (Mestre de Sabedoria Dunadán), Telumehtar Luin (Guerreiro Dunadán) e Cerch Imbelian (Nobre Elfo).

Contexto Histórico

1944 TE – Ataque de Mordor a Minas Tirith.

1974 TE – Invasão de Arthedain por Angmar (aliado a Rhudaur); viagem de Arvedui para as colinas (forte); resiste nas colinas, mais depois fogem para o Norte. os cavalos salvam-lhe as vidas; ficam escondidos uns tempos nos túneis (próximo ao extremo oposto das montanhas). Aranarth viaja para Mithlond (portos cinzentos) e contata Círdan, e depois vai para Valfenda se aconselha com Elrond.

1975 TE – Arvedui com sua comitiva chega a Forochel, os Lossoth os abrigam. O navio de Círdan chega até Forochel (e assusta os Lossoth). O Xamã lossoth diz a Arvedui: “não vá, espere o verão, pois no inverno a mão do senhor de Angmar é bem maior e ele pode fazer e desfazer o gelo.” Arvedui não dá ouvidos ao Xamã, e lhe dá o anel de Barahir, partindo no navio. Dias depois, o navio naufraga, e os dois Palantíris são perdidos. Chega à força de Gondor, liderada por Earnür. O Rei de Gondor não confronta o Senhor dos Nazgûl (Glorfindel faz uma previsão) e ele foge, mas Angmar é destruída.

1976 TE – Condecoração de Aranarth como líder dos dúnedain.

Personagens históricos: Arvedui (o Rei), Fíriel, de Gondor (Rainha), Aranarth (o Príncipe), Malbeth (o vidente, que previu o futuro de Arvedui), Elrond (senhor de Valfenda), Glorfindel (líder da casa da flor dourada de Gondolin), Círdan (senhor dos portos cinzentos), Elladan e Elrohir (filhos de Elrond)

Cronologia

1973 TE: Dezembro

10- Banazîr chega a Fornost.

12- Banazîr se reúne com Arvedui e os seus conselheiros. Fica decidido que ele irá para Valfenda, acompanhado de Telumehtar, filho do capitão Menelmacar, para pedir o auxílio aos elfos na guerra iminente contra Angmar.

15- Banazîr e Telumehtar partem de Fornost para Bri.

17- Encontro com Ventos cortantes. Telumehtar avista um vulto (Sercë, o lobisomem) na mata.

22- O grupo chega a Bri.

23- O grupo parte para Valfenda. Ventos Cortantes promete se encontrar com eles no Topo do vento.

25- O grupo é emboscado no Topo do Vento, por Sercë e 10 Orcs. Telumehtar é ferido por flechas envenenadas, mas Ventos Cortantes o salva. O grupo foge para o Sul, desviando um pouco a rota, e lá acham uma pequena gruta onde podem descansar. Banazîr vive a morte dos pais em visão e descobre uma pista sobre o assassino de seus pais.

26- Glorfindel, Elladan e Elrohir encontram o grupo. Glorfindel leva Telumehtar a Valfendapara receber melhores cuidados; Elladan e Elrohir acompanham os outros.

1974 TE: Janeiro

1- Aniversário de Banazîr.

3- Banazîr e Ventos Cortantes chegam a Valfenda acompanhados dos elfos.

5- Elrond conversa com Banazîr e à noite, homenageia o sábio com uma festa para comemorar o seu aniversário.

6- As forças de Angmar iniciam os ataques a Fornost. Aranarth parte de Fornost.

30- O príncipe Aranarth chega a Valfenda e conta sobre o ataque de Angmar e a fuga de Arvedui para as colinas do Norte, dizendo que já informou a Círdan, nos Portos Cinzentos. Aranarth entrega a Banazîr a espada e o colar do capitão Menelmacar, que lhe pediu para entregar ao seu filho.

31- Banazîr entrega a espada e o colar a Telumehtar. E Banazîr e Ventos Cortantes se reúnem com Elrond.

 1974 TE: Fevereiro

5- O grupo se reúne com Elrond, Aranarth e Glorfindel e decide ir atrás de Arvedui que fugiu para o norte. Elrond envia Cerch, o elfo, para compor a comitiva do resgate de Arvedui.

7- O grupo parte de Valfenda.

9- Dois dias após a partida de Valfenda, Ventos cortantes avista Sercë, que continua a perseguir o grupo mesmo depois da longa estada em Valfenda.

11- Cerch e Telumehtar avistam alguma coisa a persegui-los, mas Telumehtar reconhece aqueles olhos na escuridão e descobre que Sercë continua a persegui-los. Nesta noite, um uivo horrendo é ouvido na mata a pouca distância do grupo. É quando Ventos Cortantes e Telumehtar contam sobre Sercë e o grupo resolve viajar durante a noite de agora em diante.

13- Ventos Cortantes tenta surpreender Sercë, mas só o que vê é um enorme Warg, fora das proporções comuns e longe de seu habitat. O grupo prossegue viagem e ao amanhecer, chega à ponte, onde Ventos Cortantes encontra e coleta o berilo de Glorfindel, que o deixou para o grupo na vinda para Valfenda.

16- O grupo chega ao Topo do Vento e encontra cadáveres de Orcs — oito ao todo. Ventos cortantes e Banazîr suspeitam que são os Orcs que os atacaram. A pedido de Telumehtar e também por curiosidade de Ventos Cortantes, eles sobem o Topo do Vento. Lá eles são atacados por um Troll das colinas. O grupo consegue vencer o Troll, mas Ventos Cortantes deixa a batalha com ferimentos.

18- O grupo chega a Bri, e resolve ficar ate Ventos Cortantes se recuperar dos ferimentos.

27- Lúrë, a coruja, aparece para o grupo e entrega o recado de Arvedui: “Arvedui se encontra no lago Vesperturvo, a espera de ajuda”. O grupo se reúne e decide parti para o lago Vesperturvo.

28- O grupo parte para o lago Vesperturvo, sem os corcéis para parecer aos olhos do inimigo meros viajantes. E Ventos cortantes, parte para Fornost para vigiar os passos do inimigo, e diz que ira se encontrar com o grupo no lago.

 1974 TE: Março

3- Banazîr e Cerch avistam a criatura (Sercë) na mata.

8- O grupo chega à ponte do Brandevin, e decide subir ao norte pelas margens oeste do Brandevin.

12- Um grupo de corvos se aproxima do grupo, viajando contra o vento, o grupo tenta se esconder, mas são avistados; então eles decidem não descansar, e continua a viagem durante todo dia ate a noite. Durante a noite a criatura (Sercë) aparece no acampamento, e intimida Cerch.

21- Chegada ao lago Vesperturvo, no lago devido às feitiçarias de Undómë, Telumehtar mata seu pai, mas no leito de morte, o capitão Menelmacar entrega a seu filho um anel prateado que ele tirou do tesouro de Undómë. O espírito então aparece e é vencido por Telumehtar, pois os outros nada podiam fazer. Telumehtar enterra seu pai. Cerch e Banazîr vêem o tesouro de Undómë, e lá encontram o seu diário e desvendam a sua maldição. Lúrë aparece e diz que Arvedui foi para os túneis das colinas ao norte.

22- Partida do lago Vesperturvo.

26- O grupo chega a as colinas do vesperturvo, e encontra a entrada dos túneis. 

27- O grupo encontra Ventos cortantes nas escadarias dos túneis. Ventos cortantes conta ao grupo o que descobriu que o Rei dos bruxos enviou varias patrulhas de Orcs, em busca de Arvedui. Banazîr tem uma visão através de seus sonhos e vê os combates de 1944 TE em Gondor, e descobre a maldição de Menelmacar.

29- O grupo chega aos grandes salões, e descobre que ali fora uma antiga casa de Anões. Sercë se revela, e os ataca nos grandes salões, deixando seus servos (warsg) para combater o grupo, e prossegue atrás do rastro de Arvedui. O grupo vence os servos de Sercë, mas Cerch desmaia, e Ventos cortantes fica ferido. O grupo encontra a câmara de registros, e lá permanece por duas semanas até os ferimentos se amenizarem.

 1974 TE: Abril

13- O grupo deixa a câmara de registros e partem em busca de uma saída dos túneis. Começa o racionamento de alimentos.

20- O grupo encontra Arvedui, escondido numa câmara ao norte nos túneis.

23- Arvedui conversa com Banazîr, e lhe mostra o que carrega, e usa um palantír para tentar descobrir a saída dos túneis.

24- Arvedui conversa com Banazîr e lhe expõem o plano de fugir, e o grupo segurar o inimigo. Arvedui diz: “eu saberei a hora certa!”

O grupo passou tortuosos cinco meses se escondendo de Sercë e suas artimanhas dentro das colinas; quando todos estavam abatidos, enfim Arvedui tomou a sua decisão.

 1974 TE: Agosto

13- Aniversário de Telumehtar.

1974 TE: Setembro

22- Arvedui decide partir em dois dias, e começam os preparativos para a fuga do rei.

24- Arvedui parte na manhã deste dia, o grupo os acompanham até os caminhos do norte nos túneis, onde se encontra uma ponte, o Rei atravessa a ponte com sua comitiva deixando o grupo do outro lado, pois nos seus planos eles deveriam ficar e combater Sercë e o impedi-lo de se aproximar do Rei. Após atravessar a ponte um dos homens de sua comitiva usa um encanto, destruindo a ponte e a lançando abismo abaixo. O grupo retorna para a caverna na qual o Rei se escondeu durante todo esse tempo. O grupo passa a se esconder nas cavernas esperando a hora de emboscar Sercë, e vivem do restante das provisões de Arvedui.

 1974 TE: Outubro

7- O grupo avista Sercë nas proximidades de sua caverna, e decide emboscá-lo, eles persegue ele ate a volta aos grandes salões, mas Sercë e muito astuto e tinha os vistos, e quando eles entraram nos grandes salões foram atacados (Sercë e mais 3 wargs). Após o combate Sercë foge com apenas um de seus servos que, este bastante ferido, mas Telumehtar e Ventos cortantes estão gravemente feridos, Cerch e Banazîr ouvindo as palavras de Ventos cortantes, deixam os feridos na caverna e decide ir à caça de Sercë.

11- Aniversário de Cerch.

13- O grupo avista Orcs, nos túneis. Eles encontram Krór e Kili, e eles dão o paradeiro de Sercë.

15- Os dois encontram Sercë e lutam com ele. Neste dia chega o fim à perseguição do lobisomem; Banazîr e Cerch o derrotam. Após vencer Sercë eles decidem ir para Forochel.

 1974 TE: Novembro

1- Morte de Ventos cortantes, Os Orcs comandados por Shagrat que mataram o guardião. Telumehtar foge e decide ir para Forochel.

 1974 TE: Dezembro

27- Telumehtar desmaia no gelo, os Lossoth o acham, ele é o primeiro a chegar em Forochel. Telumehtar passa todo o tempo inconsciente devido à exposição ao frio, e por isso ele não pode ver Arvedui, que estava em Forochel.

 1975 TE: Janeiro

1- Aniversário de Banazîr.

 1975 TE: Março

5- Cerch e Banazîr chegam a Forochel. Fazia apenas um dia que Arvedui tinha partido. E dado o anel de Barahir para o Xamã Lossoth. Banazîr reivindica o anel em nome do príncipe Aranarth, mas o Xamã Lossoth diz que só dará o anel caso eles acabem com o demônio, que vive nas montanhas. Telumehtar Acorda.  Celebeth os visitam, e descobre que Arvedui já se fora; então revela ao grupo sobre o tesouro de Menelmacar, o anel que Telumehtar carrega, e depois parti. Telumehtar discute com o grupo e decide ir embora; a malícia do anel já está a agir sobre ele.

6- Telumehtar encontra Celebeth, que o desafia. Telumehtar é vencido por Celebeth e Shagrat, Capitão dos Orcs de Angmar. Celebeth leva o anel, e Shagrat corta a sua mão direita. Telumehtar é deixado para morrer na neve.

8- O Xamã Lossoth (Madbung) envia Ohtar para o sul. Cerch e Banazîr fazem planos para enfrentar a misteriosa criatura, mas Madbung diz que eles devem esperar os sinais. Neste momento a sombra de Angmar esta a cobrir quase toda a Arnor. Telumehtar começa a rastejar na direção de Forochel.

15- Após vários dias sem sol, ele aparece com todo o esplendor da aurora; e este parece ser o sinal de que o Xamã estivera falando. Ao final da manhã Ohtar retornar com três anões, Frerin, Bifur e Nori, dispostos a acompanhar o grupo na demanda da montanha.

17- O grupo formado em Forochel parte na aurora deste dia, para a demanda da montanha. Ohtar também parte com os forasteiros e os anões.

18- Telumehtar retorna a forochel.

21- O grupo encontra os salões da criatura, e descobre que se trata de um demônio do mundo antigo, um demônio de gelo. O grupo o enfrenta no interior da montanha, Cerch desfere o golpe final, acertando uma flechada no coração frio do demônio. Mas na fuga eles enfrentam alguns Trolls, e são bastantes feridos, mas conseguem fugir.

26- Os combatentes retornam a Forochel, e encontram Telumehtar, que contam o que o aconteceu. Madbung entrega o anel a Banazîr.

 1975 TE: Abril

1- O sol nasce mais forte neste dia, e as trevas de Angmar começam a ser dissipada pela a aurora e pelos fortes ventos que vem do oeste, acabando com o maldoso inverno que teimava em não dar trégua. Madbung diz que eles devem partir rápido para o sul em direção aos Portos dos Elfos (Mithlond). O grupo parte para o sul.

12- O grupo se despede do Ohtar que os acompanhou ate os limites da neve.

24- O grupo encontra o exercito de Gondor, Círdan estava lá a espera de Cerch, e apresentam o grupo a Earnür príncipe de Gondor e capitão dos exércitos.

26- A cavalaria de Gondor parte para o norte a fim de contornar as colinas. Telumehtar conversa com Beregond e descobre informações sobre Celebeth. Telumehtar desaparece do acampamento.

28- A outra parte do exercito parte pelas colinas, na aurora. Ao cair da noite eles atravessam as colinas e se deparam com um poderoso exercito enviado pelo “Rei dos Bruxos”, inicia-se os combates, pois os exércitos do oeste atacam descendo das colinas. E quando tudo parecia vencido para os exércitos do oeste, o “Rei dos Bruxos” apareceu em pessoa e mudou a sorte do combate, quando matou o capitão que comandava aquele ataque.

29- Os homens do oeste resistiram com bravura (é interessante registrar que nesse momento, o jogador que interpretava Cerch, o Elfo, tirou cinco vezes o número 6 seguidos na mesma jogada) pois quando a vitória do Rei dos Bruxos era quase completa, uma belíssima aurora floresceu em Eriador, e uma poderosa cavalaria, comandada pelo Príncipe-capitão Earnür de Gondor, desceu do norte, ao mesmo tempo em que as forças elfícas comandada por Glorfindel vieram em auxilio de Valfenda. Com a chegada dos exércitos o Rei dos Bruxos foge, declarando sua derrota, mas ele e perseguido por Glorfindel e Earnür de Gondor ate as charnecas Etten, quando finalmente para e resolve descarregar toda sua ira em alguém; e com um grito terrível ele cavalgou na direção do capitão de Gondor, mas Earnür ter-lhe-ia feito frente, mas seu cavalo não suportou o ataque e desviou o levando para longe antes que ele pudesse dominá-lo. Então o Rei dos Bruxos riu, e ninguém que ouviu aquilo jamais esqueceu o horror daquele grito. Mas então Glorfindel avançou no seu cavalo branco, e, em meio ao seu riso, o Rei dos Bruxos virou-se e fugiu para dentro das sombras; pois a noite caiu sobre o campo de batalha, e ele desapareceu e ninguém viu para onde foi. Neste momento Earnür retornou cavalgando, mas Glorfindel olhando em direção a escuridão que se adensava, disse – Não o persigam! Ele não retornará para esta terra. Muito distante ainda esta a sua destruição, e ele não cairá pela mão de um homem – essas palavras foram guardadas na memória de todos. Mas Earnür estava zangado desejando apenas vingar sua desgraça. Após os eventos com o Rei dos Bruxos, o grupo se despede, e o capitão de Gondor convida Cerch e Banazîr para que venham Gondor. Assim eles se despedem e os dois valorosos caminhantes partem para Valfenda na companhia de Glorfindel. Assim terminou o reino maligno de Angmar.

 1975 TE: Maio

7- Chegada a Valfenda. Os dois caminhantes são recebidos por Elrond na última casa amiga, e decidem permanecer ali ate recuperar os seus ferimentos.

20- Elrond permite que Aranarth visite os caminhantes. Aranarth os interroga sobre seu pai e a viagem.

23- Telumehtar chega em Bri, e perde o rastro de Celebeth, e se abriga nas casas de mendigos para passar oculto por seus conhecidos.

25- Glorfindel Visita os caminhantes, e tem uma longa conversa com Cerch. Telumehtar parte de Bri.

28- Telumehtar encontra Lüre, e ele conta sobre o rumo de Celebeth.

 1975 TE: Junho

4- Os caminhantes se recuperam de seus ferimentos, e há uma festa em Valfenda em homenagem aos quatro caminhantes que partiram na demanda de Arvedui. Cerch conhece Daeron, o menestrel. Telumehtar chega em casa e encontra a sua mãe, e conta a sua família sobre tudo o que aconteceu, e sobre a maldição. Sua mãe diz que ele e seu irmão devem esquecer a maldição e que a partir de agora ele seria chamado de “Camlost”, pois deveria mudar de nome para fugir da sua sina, e poder viver em paz; mas ele disse a sua mãe que o anel nunca o deixaria em paz.

5- Cerch parte de Valfenda, acompanhado de Daeron. Banazîr permanece na ultima casa amiga. E Celebeth espreita ao longe Telumehtar e sua família.

25- Cerch chega a Mithlond, e reencontra Círdan que o mostra o barco que o levará para o oeste, mas Cerch decide não partir.

30- Banazîr parte de Valfenda.

 1975 TE: Julho

10- Banazîr chega a Bri, e é recebido com honrarias, e traz a noticia da derrota do Rei dos bruxos de Angmar. Em casa Banazîr é recebido alegremente por seu fiel criado Odo.

 1976 TE: Julho

1-Cerch e Banazîr retornam a Valfenda, para a condecoração de Aranarth como líder do dúnedain de Arnor, e os tesouros da casa de Isildur ficam sobre a custódia de Elrond.

5- Cerch e Banazîr partem de Valfenda.

12- Chegada a Bri.

14- Na alvorada Cerch parte para os portos cinzentos.

15- Nas primeiras horas da madrugada, Frerin e Bifur chegam à casa de Banazîr, pedindo a sua ajuda.

E assim termina a história dos caminhantes que foram para o Norte em busca de Arvedui, aquele que já estava predestinado a ser o último rei. E também se relata o fim do reino maligno de Angmar, pois esta história relatou os últimos momentos dos Reinos do Norte, tanto o reino dos dúnedain como o reino maligno de Angmar. E o Rei dos Bruxos só retornaria ao Norte na época de Frodo Bolseiro, a linhagem dos reis estaria interrompida em Arnor e os herdeiros de Isildur passaram a viver no exílio. A linhagem dos reis do Norte só conheceria o retorno através de Aragorn II, filho de Arathorn II — Que seria conhecido como Elessar, a pedra élfica.

O Um Anel – Crônica de Campanha

capa-boxNão é difícil achar uma criança que goste de fantasia medieval — eu mesmo não perdia um episódio sequer de Caverna do Dragão no final dos anos 1980, mesmo sem saber o que era RPG (que só conheci em 1995). Apenas alguns anos depois ouvi falar em O Senhor dos Anéis (SdA), pois apesar de sempre ter o gosto pela leitura, não tinha o acesso a livros — e quando tinha, era pela biblioteca da escola, que não era lá essas coisas.

A primeira vez que vi um exemplar do SdA foi na forma de um lindo volume único que pertencia a um colega que não deixava ninguém tocar no livro! Eu, ansioso para conhecer o universo de Tolkien, me contentava em ouvi-lo contar as histórias dos livros. Até que eu ganhei o meu exemplar da Sociedade do Anel — que tem uma história engraçada, pois pertencia a uma amiga que o ganhou de presente de um namorado, e com o fim do relacionamento, eu “herdei” o livro — e enfim, tinha um livro do Tolkien em mãos. E melhor ainda, com tempo para poder ler e reler. Acho que devo ter revisado a literatura de Tolkien referente a Terra Média, não menos do que 15 vezes, e agora me preparo para lê-la com os meus filhos.

Em 2003 conheci o RPG O Senhor dos Anéis, com o sistema CODA. Após ser jogador, decido me aventurar em narrar uma crônica na Terra Média. Foram 3 anos de preparação, para em 2006, iniciar com uma crônica sobre Arvedui, o Último Rei do Norte (1974 TE); em 2008, Sorón-Hên, o Anel da Visão (1976 TE); em 2010, A Sombra da Lua (2002 TE); e 2014, Nas Sombras de Angmar (1409 TE).

Em 2013, sou apresentado ao RPG O Um Anel: Aventuras Além do Limiar do Ermo. Que a princípio, não utilizo em minhas narrativas, devido à minha experiência com o CODA, que inicialmente me impede de mergulhar no sistema. No mesmo ano escrevo uma resenha comparativa entre o CODA e o Um Anel, no qual deixo explícita minha preferência pelo CODA.

Mas em 2015 decido me aventurar no sistema mais recente e acabo por descobrir uma ótima mecânica para neófitos na Terra Média. Contudo, ainda mantenho meu gosto pelo CODA para campanhas mais épicas.

Aproveito o espaço para deixar a cronologia da aventura narrada para quatro amigos, que tiveram a duração de quatro sessões.

 

 Crônica: Em Busca do Mago Castanho

Sistema: Um Anel

Personagens: Grimhild (Mulher da Floresta das Trevas), Lofár, filho de Dorák (Anão), Farin, filho de Dwalin (Anão) e Balbo Tûk (Hobbit).

 

2993 TE: Novembro

20: O príncipe anão Khráin, cai em sono profundo após beber a água escura da floresta.

23: O Rei Dáin, chamar Lofár e pede para que o mesmo parta em busca de Radagast, o Castanho, para trazer a cura para o mal do príncipe. Lofár parte com Farin para Esgaroth, ao encontro de Dwalin.

WP_20150730_004

prontos para viajar!

25: Chegada a Esgaroth; reunião na casa de Dwalin — o velho anão apresenta Grimhild ao grupo, que será a guia pela Floresta das Trevas. Lofár apresenta o pedido do rei, e o grupo decide ir para Rhosgobel; navegando os pântanos compridos e depois seguindo pela velha estrada da floresta. Dwalin informa que Anar e Bláin, estão esperando o grupo nas escadarias de Girion. Nas escadarias, descobrem que os anões partiram para o Bosque dos Enforcados em busca de um tesouro. Farin defende a ajuda aos anões.

27: O grupo avista elfos na margem Oeste e orcs na margem Leste. À noite, decidem acampar na margem leste e enfrentar os Orcs, que fogem diante da fúria de Lofár.

28: Galion o Elfo procura o grupo e fala sobre a perseguição ao Orcs e sobre os anões que passaram há um dia. O grupo decide investigar a margem Leste e encontra o barco dos anões. Avançam noite adentro no Bosque dos Enforcados e chegam a uma antiga edificação. Lá são atacados pelas criaturas do Pântano. Descobrem Anar, ferido, em uma sala e Bláin, morto, em outra. Encontram também Balbo, o Hobbit.

29: Ao amanhecer, fogem do covil dos pantaneiros e exaustos, decidem descansar. É quando são atacados pelos 3 Orcs que os acompanhavam pela margem Leste. Vencem o embate e montam acampamento. Durante a tarde, na vigília de Balbo, são atacados por uma Aranha Gigante, que prende o Hobbit. Grimhild foge amedrontada, Farin parte em sua ajuda e é enredado pela aranha, que segue na sua perseguição a Grimhild.

WP_20150730_001

Olho de Sauron de novo!

Grimhild, em sua corrida desesperada, encontra uma caverna, onde a aranha deixa de persegui-la, como se sentisse medo de algo. Ela tenta retornar, se perde e acaba adentrando no covil da aranha. Lofár chega para socorrê-la e ambos matam a aranha. Retornam ao acampamento para libertar Balbo e Farin e decidem descansar. Anar observou algo a espreitar o grupo durante a noite.

30: O grupo decide partir, carregando o corpo de Farin e Bláin. Grimhild se perde, Balbo a encontra em uma caverna e ambos retornam. O grupo perde mais um dia de viagem e decide acampar novamente.

31: Os mantimentos do grupo estragam, forçando Grimhild a sair para caçar — com sucesso. Mais um dia perdido de viagem. Acampam novamente.

2993 TE: Dezembro

encontro com o Mago Cinzento

encontro com o Mago Cinzento

1: O corpo de Blaín desaparece. Finalmente, encontram um rastro, seguido por Balbo, que encontra outra caverna. Decide explora-la; encontrando um labirinto e um cheiro pútrido, retorna para avisar ao grupo. Os anões decidem ir resgatar o corpo de Bláin. Chegando na caverna encontrada por Balbo, veem um lobisomem sair e decidem explorar a sua ausência, encontrando o corpo do anão destroçado. Lofár recolhe sua herança familiar e retornam ao acampamento. Anar relata que foram observados novamente.

2: O grupo retoma a viagem e ao cair da noite são atacados por Bacihr, o lobisomem da Floresta das Trevas. Vencem a criatura e decidem descansar para seguir viagem pela manhã.

5: Os aventureiros encontram Eboric, um homem do Salão da Floresta, que decide guia-los até o Salão da Floresta.

7: Chegam ao grande Salão da Floresta e são recebidos pelo ancião Amalric.

8: Farin recupera-se de seus ferimentos e o grupo decide partir para a Vila dos Homens da Floresta.

quem tem medo de aranha?

quem tem medo de aranha?

9: O grupo é emboscado por Aranhas, mas vence e segue viagem.

10: Chegada à Vila da Floresta, onde encontram com Radagast, com quem conversam e descobrem o mal que está sob o Príncipe Khráin. Decidem ir a Rhosgobel, a convite do Mago Castanho.

12: Chegando a Rhosgobel, o grupo é surpreendido com a aparição de Thorongil e Gandalf. Em conversa com o Mago Cinzento, os aventureiros são incumbidos de ir averiguar as condições de travessia do Passo do Chifre Vermelho.