GURPS Doom!

Capa GURPS Ultra-Lite Doom…GURPS Ultra-Lite, é claro.

Eu estou com uma adaptação completa de GURPS Doom para a 4ª edição, mas enquanto não chega (e já está muito atrasada), fica a versão para GUL, muito mais fácil de fazer.
E por que diabos fazer uma versão em GUL? Pra começar, é mais rápido montar um jogo de Doom, em especial se sua maior preocupação é estourar zumbis, demônios e monstros com armas de fogo avançadas, ao longo de uma instalação científica na superfície de Marte. Na época do lançamento de Doom (que foi praticamente o pai dos FPS), ele era extremamente original e divertido, e até hoje, há pouca coisa tão nostálgica em termos de FPS quanto ele.
Eu já havia feito uma adaptação no meio dos anos 90, para a 3ª edição de GURPS — mas com várias modificações, de maneira a permitir aos jogadores interagir com um universo mais vasto que a invasão demoníaca em Marte e ajustar algumas das tecnologias de armas que eu achava pouco high-tech para meu gosto sofisticado, fruto de extensas leituras de ficção científica da mais alta estirpe.

Depois, vi que era tudo besteira. Bom mesmo era estourar criaturas inumanas sem dó nem piedade, com tiros à queima-roupa de espingarda. Ou vazar um monte deles com uma minigun, queimando cartuchos como se não houvesse um amanhã. Só fazia mesmo falta uma caixa de granadas, mas quem precisa de granadas quando a gente pode partir pra cima dos inimigos com uma motosserra? De qualquer maneira, esta versão simples pode ser impressa em uma única página de formato A4, usando frente e verso e dobrando no meio para criar o folheto. Clique na imagem ou aqui para fazer o download. Críticas e sugestões são bem vindas.

E quem sabe depois não rola uma aventura?

Anúncios

GURPS Lite – Personagens Instantâneos

Capa do Guia de PersonagensHá algum tempo que eu venho trabalhando em uma condensação de GURPS Lite (a versão gratuita de GURPS, disponível aqui) para facilitar a vida de jogadores e GMs iniciantes e veteranos. Mas desde a 3ª edição nacional que não há nada parecido no Brasil. Sim, no Brasil, pois no Escudo do Mestre de GURPS (original em inglês, sem versão nacional até agora) vem um guia de adaptação de personagens da 3ª para a 4ª edição, além de um monte de tipos de fichas diferentes e um guia de construção rápida de personagens, bem completo, com tudo que é vantagem, desvantagem, perícia, etc..

Mas nada disso chegou nas terras brasilianas, então resolvi fazer uma versão Lite (ou seja, nada que já não seja gratuito, e em português) do guia de personagens instantâneos (nem que fosse por pura falta do que fazer). Para usar é fácil:

  1. Coloque na impressora duas folhas de papel tamanho A4;
  2. na hora de imprimir, seja no Adobe Reader ou no seu programa favorito de ler PDFs, coloque a opção de escalonar a página para nenhuma;
  3. não imprima tudo de uma vez: a página 1 tem que sair no verso da página 2; e a página 3, no verso da página 4;
  4. agora é só dobrar no meio da página (ficando a página 1 e a página 3 para o lado de fora. Coloque as duas páginas dobradas uma dentro da outra (a 3 dentro da 1) e voilá: está pronto.

Se preferir, coloque um grampo de papel na borda para segurar as páginas ou passe uma linha fina de cola — também funciona. Ou sei lá, deixe assim mesmo. Dúvidas, críticas e/ou sugestões (incluindo aí correções), é só avisar.

Ah, o link? Aqui. Eu também tenho uma ficha reduzida para campanhas básicas, de 150 pontos. Já-já eu coloco online. Aliás, já coloquei aqui. Viu como eu sou rápido?

GURPS: Lite, Microlite e Ultra-Lite

Existe uma versão de GURPS (4ª edição, embora ela também existisse na 3ª) chamada GURPS Lite, que é na verdade, GURPS — mas sem algumas centenas de páginas de regras, vantagens, desvantagens, perícias e modificadores. Ou seja, apenas os elementos mais básicos do sistema, que permitem a você fazer uma campanha universal e genérica (dentro de certas limitações) após algumas poucas páginas de leitura. Não, não é complicado. Uma dúzia de perícias, vantagens e desvantagens, alguns equipamentos e armas e voilá: sua campanha está pronta. Continue lendo

Fichas de Personagens

Eu adoro criar material para as campanhas: props, NPCs, notas e… fichas. Pois é. Muito embora cada sistema de jogo tenha sua ficha oficial, eu tenho esta percepção – ou desejo, sei lá – que o sistema de RPG, sua mecânica, deve ser adaptado não só ao seu grupo de jogo, mas à sua vontade, ao seu modo de mestrar.

Eu sou um mestre de GURPS tradicional, pelo menos na maior parte. Há sutilezas do sistema que não uso e provavelmente jamais usarei. Algumas são aplicada em determinadas campanhas, enquanto em outras não. Há aquelas que são usadas com grandes ou pequenas modificações, e até mesmo exatamente da forma como vem escrita no livro.

Mas ficha, ficha de personagem, para mim é uma coisa séria. Metade arte e metade técnica, ele me parece como um portfólio do sistema e da campanha que representa: entrega-me tua ficha de personagem e eu te direi como jogas. E não falo apenas do jogador. O GM, principal responsável pela execução das regras, é representado pels fichas. E o sistema que usam enquanto grupo de jogo. O que deverá existir nelas? Como serão mantidas? Como serão preenchidas? A lápis? Caneta? Computador?

No meu caso, as fichas primeiro passam por um processo de reflexão sobre o que vai ser usado na campanha. No meu caso, a primeira versão da ficha iria ser usada para um jogo de ação cinematográfica, com uma quantiade específica e limitada de vantagens, desvantagens e perícias. A estrutura da campanha faria com que o jogador, no momento da criação, não necessitasse escolher dúzias de perícias (a menos que desejasse) e vantagens. Ela deveria ter fácil visibilidade para seus elementos principais e seria preenchida à mão, já que eu havia fornecido um pequeno guia de criação de personagens aos jogadores, contendo cerca de 10 páginas e tendo tudo o que era necessário para o personagem.

Após as fichas serem preenchidas e usadas em umas duas ou três sessões de jogo, elas foram substituídas por uma versão menor, com metade do tamanho, onde havia apenas o espaço essencial para o conteúdo do personagem. Desta forma, era mais fácil de manusear e permitiria ao jogador encontrar rapidamente informações e estatísticas do personagem sem distrair-se com espaços irrelevantes ou não-preenchidos.

Como vocês fazem? Vocês chegam a se dar o trabalho?