Avatar – Os Dobradores

Olá,

 

Auspicioso início de inverno, caros 2d6 leitores! Há tempos que não me aventuro pelos vales das postagens em blogs, mas recebi o convite do pessoal do Mundos Colidem e encontro-me em um momento que acredito ser viável tal feito. Então decidi por tirar a poeira do equipamento, calçar as botinas e viajar novamente pelos vales catalogando ideias, experiências e materiais no fabuloso mundo do RPG para trazer até vocês o resultado dessas viagens. A quem me acompanhava na “Toca do Hutt”, sim, eu estou escrevendo isso de última hora, em plena madrugada, precisando acordar cedo. É, alguns velhos hábitos não mudam, mas eu espero conseguir ser mais organizado e planejar melhor minhas postagens aqui no Mundos Colidem.

 

Eu deveria ter começado na semana anterior, mas foi uma semana movimentada muito louca na minha vida e pra piorar eu encontrava-me de frente ao meu maior dilema no momento de escrever alguma postagem: a dúvida. É, eu estava em dúvida sobre o que escrever. Até pensei em falar sobre o Calango Lúdico, o evento que estou ajudando a organizar que ocorrerá no domingo, dia 03 de julho de 2016, no Arena Geek – sim, isso é um jabá. Só que o ideal é que ao falar do evento eu apresente todas as informações necessárias e eu preciso organizar algumas delas para ficar compreensível – e pra mostrar que apesar do caos em minha mente, eu consigo fazer algo organizado. Então, por essa razão, estava confabulando com meus colegas de equipe e após algumas sugestões e possibilidades apresentadas, optei por reviver algum material mais útil das postagens antigas do Toca (ou seja, um que não tenha tanta cara de diário do Leish), que infelizmente ainda continua fora do ar, apesar da Bonatto ter salvo meu material num blog bonitinho, só pra eu referenciar como faço aqui e ali.

 

O material escolhido foi o do hack (hack aqui, nesse sentido, seria de adaptação) de Avatar para Storytelling – por favor, não confundir Storytelling, sistema do Novo Mundo das Trevas que virou Crônicas das Trevas, com Storyteller, sistema do Mundo das Trevas. Escolhi por três motivos: O primeiro é que foi o artigo que eu vi alguém linkar num grupo e eu nem conhecia a pessoa que linkou, por isso homenageio essa generosa alma que encarou o meu árduo texto; O segundo é que um dos membros da equipe votou nisso enquanto eu estava mergulhado na dúvida; o terceiro é pra aproveitar o hype do pessoal fã de Avatar que está frequentando o Mundos Colidem pra pegar a adaptação de Lima para FATE Acelerado – e aumentar esse hype, já que acredito que este material aqui não é pra competir com o do FATE, mas apresentar uma alternativa para quem curte algo mais mainstream agradando a gregos e troianos e, quem sabe, incentivar a quem prefere em outro sistema a criar sua própria adaptação (e pode enviar pra gente analisar que, se estiver compatível com o sistema, a gente publica!). Então, eu reescrevi um pouco o material e trago a vocês, pedindo, solenemente, que ignorem as insanidades. 😀

Continue lendo

Star Wars: Cronologia de RPG, Parte II

Continuando a matéria retrospectiva sobre Star Wars no RPG, apresento a vocês hoje, um pouco sobre o material da WoTC — o tão famoso e jogado D20 e o SAGA — mas primeiro, vamos falar do Star Wars D20.

Bom, vamos aos fatos: os Magos da Costa adquiriram os direitos sobre Star Wars e publicaram Star Wars em 2000, com a chegada do filme Star Wars I – Ameaça Fantasma e uma revisão em 2002. As regras usadas eram as mesma do Dungeons and Dragons, com algumas modificações para adequar-se à temática do Star Wars. O livro básico dava ênfase a se aventurar no período dos filmes que estavam passando, como a Guerra dos Clones e os problemas gerados na República, mas com seus suplementos podia-se expandir suas aventuras para outras épocas do Universo Expandido, como a adorada (e mais jogada) das mesas: a Velha República. E dava para jogar até com os vilões e se aventurar como Sith, comerciante de escravo ou ainda caçador de recompensas (alguém pensou em fazer um Bobba Fett aí?).

Regras

Sem título

Capa do Star Wars Revisado

Como falei acima. o RPG utiliza a mesma base do Dungeons and Dragons; com seis atributos principais, STR (força), DEX (destreza), CON (constituição), INT (inteligência), WIS (sabedoria) e CHA (carisma); tenha características secundárias como os Saving Throws (jogadas de salvamento) para escapar de situações adversas no jogo; Vitalidade, Defesa, Base de ataque (definida pela classe e raça), Pericias (aqui definidas pela classe a qual você está jogando e pagando pontos por ela) e Talentos (que são os poderes e habilidades das classes).

O jogo se baseia em níveis e se você gosta de jogos como os da aventura de Starkiller, esse RPG é sua cara! Ao chegar nos níveis mais altos, você pode como Jedi, destruir uma Estrela da Morte ou ainda deixar um planeta como Júpiter coberto com plantas através do poder da Força. Regras para cair no Lado Sombrio da Força foram incorporados e cada atitude dos jogadores pode influenciar a queda e acabar perdendo o personagem (ou não, se usar as regras para jogar com os vilões).

As rolagens no sistema funcionam de duas formas: quando estamos lutando com um adversário, rola-se o d20+Base de Ataque e compara-se com o valor da Defesa do adversário; já na rolagem contra situações, usamos um d20+pericia ou saving throw necessário (Fortitude – Constituição, Reflexo – Destreza ou Força de Vontade – Sabedoria, sempre usando os valores de bônus do atributo). Vale lembrar que alguns Talentos podem ajudar nos dois tipos de rolagens.

As classes do livro básico D20 revisado são Fringer, Noble, Scoundrel, Soldier, Force Adept, Jedi Guardian, Jedi Consular, Scout e Tech Specialist, além de uma espécie de expansão para essas classes, chamadas de Classes de Prestigio, sem contar o monte de raças disponíveis só no básico: Humanos, Bothans, Cereans, Duros, Ewoks, Gungans, Ithorians, Kel Dor, Mon Calamari, Quarren, Rodians, Sullustans, Trandoshans, Twi’leks, Wookiees, Zabrak e regras específicas para jogar com dróides.

Com vários suplementos e uma comunidade ativa até hoje (a comunidade foi desativada oficialmente nos domínios da WotC, mas existe ainda por aí), produzindo material e atualizando o sistema para as mudanças no universo de Star Wars. A WotC aderiu à ideia de expandir a cada suplemento e aumentar a gama de Classes disposníveis, inclusive as de Prestigio, bem como suplementos temáticos para Star Wars com diferentes eras para se jogar. Apesar de terem sido lançados muitos suplementos para esta versão de Star Wars, eles ainda não chegam aos pés da quantidade de seu antecessor (talvez devido ao pouco tempo da WotC com a licença ou algum outro motivo — talvez o que mostrarei logo abaixo).

Infelizmente Star Wars D20 e seus suplementos estão fora de catálogo, mas ainda é possível encontra-los em sebos ou através das redes sociais ou internet.

Star Wars SAGA

Publicado em 5 de Junho de 2007, depois da trilogia de Anakin Skywalker passar no cinema (o último filme saiu em 2005) o SAGA é conhecido popularmente como o teste da WotC do sistema D20 para a próxima geração (a 4ª edição de D&D), mais simples que seu antecessor e mais fácil de jogar com miniaturas (a grande disparidade com seu antecessor era não precisar de miniaturas para jogar).

Regras

starwars_d20_darthvader

Capa do Básico do Star Wars Saga

De cara, a Defesa foi dividida em três: Defesa de Fortitude, Defesa de Reflexo e Defesa de Vontade (antes era só a Defesa, as saving throws somem) e todo ataque tem um “teste” para acertar nelas. As pericias agora são divididas em treinadas (recebem o bônus da classe) e não treinadas, além de não existir mais pontos para adquirir as pericias.

As classes no básico foram reduzidas: Jedi, Noble, Scoundrel, Scout and Soldier. A evolução dos personagens ainda é baseada em níveis, só que o progresso dessas classes é através das “Árvores de Personagem”, definindo Talents e Feats.

Agora não é possível atacar mais de uma vez por turno; para isso é necessário escolher um feat extra para isso. As regras para atacar e para testes continuam as mesmas. Existe um novo elemento chamado Destiny Point e todos os jogadores têm direito a um número de pontos por jogo, que dão direito a um tipo variado de bônus no jogo, como dar um ataque critico automático sem rolar os dados ou ainda ser bem sucedido numa atividade impossível.

O reinado da WoTC sobre a ambientação de Star Wars teve seu fim em 28 de janeiro de 2010. Star Wars d20/Saga ainda é muito jogado hoje em dia e como ele era um experimento para a 4ed de D&D, ainda é possível jogar sem as miniaturas — que cheguei a jogar, mais que sua versão anterior. Essa versão, ao contrário da outra, é mais sombria com relação ao uso da Força; não vi regras para fazer um planeta como Júpiter ficar coberto de flora como no D20 ou como destruir uma Estrela da Morte com.

Bom é isso galera, na próxima matéria veremos o Star Wars da Fantasy Flight Games.