O Um Anel – Crônica de Campanha

capa-boxNão é difícil achar uma criança que goste de fantasia medieval — eu mesmo não perdia um episódio sequer de Caverna do Dragão no final dos anos 1980, mesmo sem saber o que era RPG (que só conheci em 1995). Apenas alguns anos depois ouvi falar em O Senhor dos Anéis (SdA), pois apesar de sempre ter o gosto pela leitura, não tinha o acesso a livros — e quando tinha, era pela biblioteca da escola, que não era lá essas coisas.

A primeira vez que vi um exemplar do SdA foi na forma de um lindo volume único que pertencia a um colega que não deixava ninguém tocar no livro! Eu, ansioso para conhecer o universo de Tolkien, me contentava em ouvi-lo contar as histórias dos livros. Até que eu ganhei o meu exemplar da Sociedade do Anel — que tem uma história engraçada, pois pertencia a uma amiga que o ganhou de presente de um namorado, e com o fim do relacionamento, eu “herdei” o livro — e enfim, tinha um livro do Tolkien em mãos. E melhor ainda, com tempo para poder ler e reler. Acho que devo ter revisado a literatura de Tolkien referente a Terra Média, não menos do que 15 vezes, e agora me preparo para lê-la com os meus filhos.

Em 2003 conheci o RPG O Senhor dos Anéis, com o sistema CODA. Após ser jogador, decido me aventurar em narrar uma crônica na Terra Média. Foram 3 anos de preparação, para em 2006, iniciar com uma crônica sobre Arvedui, o Último Rei do Norte (1974 TE); em 2008, Sorón-Hên, o Anel da Visão (1976 TE); em 2010, A Sombra da Lua (2002 TE); e 2014, Nas Sombras de Angmar (1409 TE).

Em 2013, sou apresentado ao RPG O Um Anel: Aventuras Além do Limiar do Ermo. Que a princípio, não utilizo em minhas narrativas, devido à minha experiência com o CODA, que inicialmente me impede de mergulhar no sistema. No mesmo ano escrevo uma resenha comparativa entre o CODA e o Um Anel, no qual deixo explícita minha preferência pelo CODA.

Mas em 2015 decido me aventurar no sistema mais recente e acabo por descobrir uma ótima mecânica para neófitos na Terra Média. Contudo, ainda mantenho meu gosto pelo CODA para campanhas mais épicas.

Aproveito o espaço para deixar a cronologia da aventura narrada para quatro amigos, que tiveram a duração de quatro sessões.

 

 Crônica: Em Busca do Mago Castanho

Sistema: Um Anel

Personagens: Grimhild (Mulher da Floresta das Trevas), Lofár, filho de Dorák (Anão), Farin, filho de Dwalin (Anão) e Balbo Tûk (Hobbit).

 

2993 TE: Novembro

20: O príncipe anão Khráin, cai em sono profundo após beber a água escura da floresta.

23: O Rei Dáin, chamar Lofár e pede para que o mesmo parta em busca de Radagast, o Castanho, para trazer a cura para o mal do príncipe. Lofár parte com Farin para Esgaroth, ao encontro de Dwalin.

WP_20150730_004

prontos para viajar!

25: Chegada a Esgaroth; reunião na casa de Dwalin — o velho anão apresenta Grimhild ao grupo, que será a guia pela Floresta das Trevas. Lofár apresenta o pedido do rei, e o grupo decide ir para Rhosgobel; navegando os pântanos compridos e depois seguindo pela velha estrada da floresta. Dwalin informa que Anar e Bláin, estão esperando o grupo nas escadarias de Girion. Nas escadarias, descobrem que os anões partiram para o Bosque dos Enforcados em busca de um tesouro. Farin defende a ajuda aos anões.

27: O grupo avista elfos na margem Oeste e orcs na margem Leste. À noite, decidem acampar na margem leste e enfrentar os Orcs, que fogem diante da fúria de Lofár.

28: Galion o Elfo procura o grupo e fala sobre a perseguição ao Orcs e sobre os anões que passaram há um dia. O grupo decide investigar a margem Leste e encontra o barco dos anões. Avançam noite adentro no Bosque dos Enforcados e chegam a uma antiga edificação. Lá são atacados pelas criaturas do Pântano. Descobrem Anar, ferido, em uma sala e Bláin, morto, em outra. Encontram também Balbo, o Hobbit.

29: Ao amanhecer, fogem do covil dos pantaneiros e exaustos, decidem descansar. É quando são atacados pelos 3 Orcs que os acompanhavam pela margem Leste. Vencem o embate e montam acampamento. Durante a tarde, na vigília de Balbo, são atacados por uma Aranha Gigante, que prende o Hobbit. Grimhild foge amedrontada, Farin parte em sua ajuda e é enredado pela aranha, que segue na sua perseguição a Grimhild.

WP_20150730_001

Olho de Sauron de novo!

Grimhild, em sua corrida desesperada, encontra uma caverna, onde a aranha deixa de persegui-la, como se sentisse medo de algo. Ela tenta retornar, se perde e acaba adentrando no covil da aranha. Lofár chega para socorrê-la e ambos matam a aranha. Retornam ao acampamento para libertar Balbo e Farin e decidem descansar. Anar observou algo a espreitar o grupo durante a noite.

30: O grupo decide partir, carregando o corpo de Farin e Bláin. Grimhild se perde, Balbo a encontra em uma caverna e ambos retornam. O grupo perde mais um dia de viagem e decide acampar novamente.

31: Os mantimentos do grupo estragam, forçando Grimhild a sair para caçar — com sucesso. Mais um dia perdido de viagem. Acampam novamente.

2993 TE: Dezembro

encontro com o Mago Cinzento

encontro com o Mago Cinzento

1: O corpo de Blaín desaparece. Finalmente, encontram um rastro, seguido por Balbo, que encontra outra caverna. Decide explora-la; encontrando um labirinto e um cheiro pútrido, retorna para avisar ao grupo. Os anões decidem ir resgatar o corpo de Bláin. Chegando na caverna encontrada por Balbo, veem um lobisomem sair e decidem explorar a sua ausência, encontrando o corpo do anão destroçado. Lofár recolhe sua herança familiar e retornam ao acampamento. Anar relata que foram observados novamente.

2: O grupo retoma a viagem e ao cair da noite são atacados por Bacihr, o lobisomem da Floresta das Trevas. Vencem a criatura e decidem descansar para seguir viagem pela manhã.

5: Os aventureiros encontram Eboric, um homem do Salão da Floresta, que decide guia-los até o Salão da Floresta.

7: Chegam ao grande Salão da Floresta e são recebidos pelo ancião Amalric.

8: Farin recupera-se de seus ferimentos e o grupo decide partir para a Vila dos Homens da Floresta.

quem tem medo de aranha?

quem tem medo de aranha?

9: O grupo é emboscado por Aranhas, mas vence e segue viagem.

10: Chegada à Vila da Floresta, onde encontram com Radagast, com quem conversam e descobrem o mal que está sob o Príncipe Khráin. Decidem ir a Rhosgobel, a convite do Mago Castanho.

12: Chegando a Rhosgobel, o grupo é surpreendido com a aparição de Thorongil e Gandalf. Em conversa com o Mago Cinzento, os aventureiros são incumbidos de ir averiguar as condições de travessia do Passo do Chifre Vermelho.

Anúncios

2 comentários sobre “O Um Anel – Crônica de Campanha

  1. Pingback: Narrando em O Senhor dos Anéis | Mundos Colidem

  2. Pingback: Crônica de campanha: Caradhras – SdA | Mundos Colidem

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s